10/03/2011

REMEXENDO NA MEMÓRIA

Remexendo nas minhas velharias encontrei uma cassete VHS da Kodak. Tinha uma data e um nome: 1993 Machico. A tinta já desbotada e a etiqueta muito amarelada.

Introduzia-a no velhinho leitor de vídeo e o que surgiu foi um trabalho sobre a floresta da Madeira, a Laurissilva, desenvolvido por cinco jovens alunos, hoje já mães e pais de família.
E logo me vieram à memória as viagens de autocarro, as esperas  indinfáveis que determinavam o alargamento da estrada e o desmonte de rocha na Ponta da Queimada. As viagens ao sábado de manhã para a vila de Machico. Os passeios organizados pelos colegas de grupo. As queijadas da Pastelaria Galã. Os passeios junto ao mar e o cheiro a maresia...
Pareceu que a memória releu o HD cerebral e tudo se passava no agora.
O que hoje é uma brincadeira que um qualquer telemóvel é capaz de registar, há 20 anos era uma tarefa de  paciência e muita capacidade de espera que tudo se encaixasse.
Lembro-me de todos eles, sobretudo do entusiasmo e do sorriso. O Marcelino muito ponderado. O Nélio sempre se mexendo, qual bicho de pêssego. A Helena sempre senhora do seu nariz, sempre frontal. A Nélia era muito diplomata e observadora. A Dília na sua aparente timidez incentivava os colegas ao trabalho.
Lembro-me dos muitos trabalhos que os alunos de 9º ano desenvolveram naquele ano e nas noitadas que passei para os ler a todos. Alguns muito bons, mas este trazia a novidade:.
Nunca acreditei que fossem pedir ao Pe. Pereira para os ajudar, mas foram e fizeram o melhor que podiam, com os meios que conseguiram. No vídeo apenas deixo uns excertos dos cerca de 35 minutos do trabalho.Não é um trabalho científico. tem imprecisões. Mas é sobretudo o arrojo dos jovens que aqui quero deixar.
Quero aqui prestar a minha homenagem a estes jovens. Há muito que deles não sei.
No baú das minhas recordações há muitos jovens que me deixaram uma saudade singular pelo empenho com que faziam as coisas e pelo constante desafio em que me colocavam.

Para todos os meus antigos alunos, que são muitos, um abraço de sucesso. A estes cinco um abraço especial

video

3 comentários:

  1. interessantíssima postagem!
    as vezes me pego pensando o quanto deve ser dura e, contraditoriamente, gratificante a vida de um professor.
    beijos, Indy.

    ResponderEliminar
  2. Caro amigo.
    Grato pela visita ao meu espaço.
    Como depreendeu, sou Madeirense, pese embora há mais de 50 anos deixei o meu querido torrão natal. iz o antigo curso Industrial de Montador electricista, depois vários pulos nãp só a estudar como a percorrer o mundo em busca do pão nosso de cada dia.
    Comi o pãp que o diabo amassou e, passei as agruras da vida que não desejo a ninguém. Mereç a vida que tenho? Não sei responder mas, uma coisa posso dizer:- Muito trabalho, sangue suor e lágrimas foram apanágio neste corpo deformado.Não desejo a ninguém a vida que percorri.
    Não me sinto realizado? Falso! Sinto-me realizado muito embora o peso dos anos já tentem sufragar minha vida.
    Sempre tive como lema:- Trabalho e honestidade.
    Confesso que me sinto cidadão do mundo, pois qual formiga transportadora das mais ínfimas migalhas para que possa ter dado a meus filhos um modo de vida melhor daquele que eu tive.Nasci pobre, morrerei rico da miséria que passei.
    Hoje aos 70 anos não dou por mal empregue o mundo que percorri, nem os maus tratos a que fui sujeito. O tempo sarou todas as feridas, apagou todos os ódios e, espero que os poucos dias que me restam sejam de paz e resignação.
    Passarei a segui-lo, depois de analizarseus pontos de vista que bem me parecem srem coerentes. Um abraço e, volte sempre, as portas de minha humilde casa estarão escancaradas a quem por bem vier.
    João

    ResponderEliminar
  3. Amigo Hoje TODOS estamos de parabéns, pois é dia do blogueiro. Cada um de nós investe muito do seu tempo e de si próprio nos posts que publica. Ser blogueiro é para mim uma honra pois é um meio de aprender, de viajar (sem sair do lugar), de conhecer embora apenas virtualmente tantas pessoas de culturas por vezes bem diferentes, mas que unidos pela mesmo carinho e amizade, têm sempre uma palavra amiga para dar a quem precisa, mesmo estando a muitos quilómetros de distância. A essas pessoas maravilhosas eu chamo com muito prazer “MEUS AMIGOS”.

    "Somos todos viajantes pelas agruras do mundo, e o melhor que podemos achar em nossas viagens é um amigo." (Robert Louis Stevenson)

    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar